Quem sou eu

Minha foto
Fábio e Verônica, Verônica e Fábio. Um escritor e uma musicista, pelo menos aspirantes a isso rsrs! Amantes das letras, dos sons e de tudo que é arte! Amigos acima de tudo! Fizemos esse cantinho para dividir nossas idéias e ideais aos olhos da Net!

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Preconceitos

Olá pessoal!

Para fechar o mês com chave de ouro, e ao mesmo tempo para comemorar uma data super especial para mim e para todos os amantes da literatura Brasileira – o centenário da morte de um dos maiores escritores Brasileiros, de um marco na nossa literatura, de um autor presente em quase todas as listas para vestibular, ou seja Machado de Assis – convidei uma blogueira, especial para mim, para escrever esse post comemorativo. Com vocês e com a palavra: Dama de Cinzas, do blog “Confissões Ácidas”, espero que curtam:

Preconceito

Esse é um grande mal social! Talvez o pior de todos, porque afasta os seres humanos sem que seja dada uma chance!

Eu abomino o preconceito com todas as minhas forças porque ele atrasa o progresso social, o desenvolvimento da humanidade no sentido de sentimento mesmo. Quando a gente olha pra alguém julgando antecipadamente o que aquela pessoa é, não damos a oportunidade de nos surpreender para o bem, para o melhor, para o positivo, ficamos agarrados a uma suposta atitude negativa, ou defeito da pessoa, que exclui todas as suas outras qualidades.

Já me afastei de pessoas por perceber que eram preconceituosas acima do limite aceitável. Porque não vou ser hipócrita dizendo que não tenho meus preconceitos, tenho sim, a diferença entre mim e essa pessoas que abomino, é que luto contra eles, não os alimento, não os espalho, tento trabalhar, lidando com cada pessoa em que sinto que ele vai se manifestar, às vezes consigo logo de cara, outras vezes preciso de um tempo, mas se a intenção de vencer o preconceito existir, sempre é possível neutralizá-lo.

Já deixei de visitar alguns blogs por perceber que seus autores espalhavam tanto preconceito que aquilo ia me enojando com o tempo. Chegava um momento que por mais boa vontade que eu tivesse, os textos me causavam tristeza e chega uma hora que para não me estressar com o autor, porque afinal ele tem o direito de escrever o que quiser no seu blog, terminava por retirá-lo da minha lista de leitura.

Existe um tipo de preconceito que me chateia bastante, que é o preconceito reverso. Dos grupos discriminados, como homossexuais, negros e tal que se fecham em guetos e ficam agindo de maneira estereotipada numa forma de defesa contra a sociedade que os discrimina e até contra outros grupos discriminados. Pra mim é inconcebível ver que um ser que sofre com o preconceito não pensar duas vezes em discriminar outros grupos! Pra que essa criatura existe, se não está aprendendo nada com a vida?!

Houve uma fase em minha vida que fui exposta ao preconceito, mesmo assim nunca quis me refugiar em guetos, sempre preferi me misturar, dar minha cara a tapa, ver qual era, porque só assim você se sente uma vencedora quando consegue mostrar algo, e também consegue crescer com o "atrito".

Trabalho com uma menina paraplégica, e para mim ela é o exemplo que preciso para ilustrar o parágrafo anterior. Ela está sempre bem, mas o bem dela é real, está sempre inteira, sorridente, interagindo, fiel a suas opiniões. Ela é tão "luminosa" que consegue ser a conselheira do local de trabalho e não só a conselheira, as pessoas querem estar ao seu lado porque sua energia é positiva, boa, limpa! O que ela faz de certo? Ela existe sem se fechar naquilo que a limita. Vai a festas, bares, cinemas, casamentos, trabalha e não ocupa ninguém por conta de suas limitações, nunca faltou ao trabalho enquanto outras pessoas faltam por besteiras. Enfim é um exemplo de que se não nos fecharmos por trás de um grupo, de uma deficiência, de uma cor de pele, direcionamento sexual, se agirmos como um ser humano completo seremos sim aceitos como somos. Vai dar mais trabalho? Com certeza, eu converso muito com essa amiga, ela tem suas dores, suas fragilidades, mas sua força é maior...

Não quero dizer com isso que os guetos não devem existir, que os guetos são do mal, prejudiciais em sua totalidade, os guetos só são ruim na medida em que você os usa para se esconder do mundo.

A união entre os discriminados é necessária, mas para que se lute contra o preconceito, não para que essa união te sirva como muleta para conseguir existir num mundo, que por muitas vezes é bem cruel.

E aos preconceituosos? Para esses existe a indiferença, a neutralização. Pense que uma única pessoa com verdadeira vontade de neutralizar um grupo preconceituoso é capaz de desestruturá-lo. Porque os preconceituosos geralmente são mal resolvidos, medrosos, assustados com seus sentimentos mais verdadeiros! São seres para se ter mais pena do que raiva...

E você? Tem lutado contra seus preconceitos?

Post escrito por Dama de Cinzas, do blog "Confissões Ácidas"!

38 comentários:

Desarranjo Sintético disse...

Bom, primeiro quero agradecer imensamente a gentileza da Dama em escrever para o "Desarranjo Sintético".
Nem preciso dizer que adorei o texto. Quanto a ele, eu também concordo, pois acho abominável o preconceito, qualquer preconceito. Tendo lidar com isso da melhro forma possível, ou seja, com a cabeça aberta, tentando entender cada caso e conhecer, porque quanto mais conhecimento temos, menos preconceito alimentamos. Acho ainda pior o preconceito reverso, imaginem negros que têm preconceitos contra brancos, eles em vez disso tinham que demonstrar que são melhores, e não iguais aso ignorantes. E acho pior ainda o preconceito aos iguais, ao estilo de negros que não gostam de negros. A pessoa se auto-desprezando...Isso é que é desprezível!
E quanto ao exemplo de sua colega de trabalho, eu admiro profundaemtne essas pessoas, que tiram suas forças de seus problemas para ajudar/iluminar os outros. Parabéns para ela.

Mais uma vez agradeço a Dama, de coração. Um grande beijo.
E abraços a todos, espero que gostem do texto tanto quanto eu!

Fábio Nunes.

Grahan disse...

Bem... o que posso dizer? Parabéns a autora pelo belo texto e pelo dono do blog pela feliz escolha! Está dito!

Robson disse...

Palmas pro Fábio e pra vc minha querida amiga...que texto rico e bem escrito! parabéns!
Já conversamos sobre isso e já postei tambem sobre o tema, sei qu continuarei postando pois "agua mole em pedra dura..."
Quanto aos guetos os admito se forem "ludicos" pra diversão e encontro de idéias afins, apenas isso.
Não gosto de coisas segmentadas, acho que se promove o preconceito querendo lutar contra ele.
Não suporto homofóbicos do mesmo jeito que não suporto gays heterofobicos, acho o movimento negro, tõ nazista quanto o próprio.
penso que se nos virmos apenas como pessoas, individuos vai fazer uma difrença tão gritante, e vai soar mais alto do que qualquer preconceito ou luta contra ele.
quando lutamos muito contra uma coisa a promovemos dentro da gente e dos outros.
Sua amiga deixa claro a receita, não se impõe o preconceito, não se vê como uma paraplegica mas como pessoa.
Abraço a vc e ao Fábio

Cara de 30 disse...

Acredito que a principal luta contra o preconceito deve ser de cada um contra seus próprios preconceitos - como você mesma disse fazer. Se cada um, combater os seus, a sociedade existirá sem nenhum.

Parabéns ao Fábio pela iniciativa e à Dama pelo texto.

Pâmela disse...

Sim, sempre tento lutar contra meus preconceitos.
Claro que nem sempre consigo.
Mas você tem razão: os preconceituosos, nada mais são do que pessoas inseguras em seus próprios sentimentos, em sua própria personalidade.
Se todos agíssemos contra eles, ignorando-os, 'Gandhiando', certamente o mundo seria um lugar melhor. E não é utopia, é realidade. É só fingirmos que eles não existem, como aprendemos a fazer com as brincadeiras chatas dos irmãos, dos coleguinhas de escola, na infância mesmo. Essas pessoas são é crianças.
É só ignorar, eles ficam inseguros e, depois de um tempo, te deixam de lado.
Nada é pior do que ser ignorado.
Beijos!
Boa semana aos dois!

LindaRê disse...

Belo texto...
E concordo plenamente em questão ao preconceito reverso, que é pra mim é até mais ofencivo.
Fico encantada com pessoas como a que você citou no texto. Alguém que não deixou-se abater por nada, nem por preconceitos, nem por discriminação. Fico até com uma "invejinha" pois me sinto incapaz de tal força, mas admiro muito, muito mesmo!

Beijos

"O Autor", disse...

Creio que a racionalidade humana faz com que sejamos preconceitusos. Também creio ser inevitável um único ser humano não nutrir o mínimo preconceito, seja ele qual for. É assim que somos, é assim que fomos educados!

Mi disse...

Com tudo o que escrevestes, não há o que argumentar: perfeito!

Beijos.

Armando Maynard disse...

Um ser humano AUTÊNTICO, não pode jamais ter preconceito, pois o princípio de SER HUMANO É O RESPEITO PELO OUTRO.Um abraço,Armando(lygiaprudente.blogspot.com)

GUILHERME PIÃO disse...

Concordo,
Um texto simples, direto e que fala muito bem sobre este tema que deveria ser discutido mais.
A harmonia é tudo, neste mundo cruel.
Abraços

CARLA ROCHA disse...

Parabéns ao Fábio pela escolha da convidada! Quanto ao texto e tema irretocáveis, que possam servir de luz nesta estrada que às vezes se torna tão estreita e escura devido a cegueira do próprio preconceito. Abraço grande aos dois!

Quase Trinta disse...

Como diria um amigo meu preconceito é o ó.
Não vou dizer q sou 100% livre de preconceitos, seria hipocresia da minha parte.
Mas tenho aprendido todos os dias a viver com a diferença, inclusive com as minhas.
Excelente abordagem...

MELISSA S disse...

Belo texto, Dama. Existe um livro chamado "A comunicação do grotesco" que aborda, sem querer, a questão do preconceito. Nele, Muniz Sodré fala que quando a gente teme algo, quando qualquer coisa vai contra os nossos valores e contra a nossa identidade construída, a rechaçamos. E rechaçar seria colocar no outro aquilo que ou tememos (por representar no inconsciente uma possbilidade de fragmentação da própria identidade) ou queremos. É meio papo cabeça, mas não deixa de ter um fundo de verdade. Acho que os maiores problemas do mundo hoje têm a ver com o egoísmo e o preconceito. Seja contra crenças religiosas, opção sexual, estilo de vida ou outros. Quando a gente puder olhar uma pessoa e entender, sobretudo, o direito que ela tem de escolher e de que acreditar no que quiser, as coisas poderão melhorar. Eu tenho preconceito sim e tb me questiono sempre que ele me espreita. O exercício de pensar, de se colocar contra a parede sempre ajuda as idéias a não se cristalizarem de modo negativo. Concordo com vc em relação à tendência a se fechar em guetos. E tenho amigos socialistas que conseguem ser preconceituosos com quem trabalha e ganha dinheiro. Mas algumas cabeças simplesmente não mudam. O que a gente pode fazer é o trabalho hercúleo de mudar nossas próprias mentes. Já é um começo.

MELISSA S disse...

ps: Fábio, parabéns pelo blog e pela iniciativa! A Dama arrasa!

MELISSA S disse...

As discussões são tão boas que eu peço licensa pra linkar o blog! Bjs

*Lusinha* disse...

Pois eu não serei hipócrita também e dizer que não tenho meus preconceitos. Mas posso dizer que assim como você eu luto contra eles, procuro não ser tão maldosa com esse tipo de sentimento.
Bjitos!

Paulo R Diesel disse...

Acompanho os textos da "Dama" a um bom tempo e este é mais um no qual ela disseca com maestria sobre o tema.

O preconceito existe desde os primórdios da civilização e enquanto houver civilização não se erradicará, o que devemos fazer é combatê-lo e tentar diminuí-lo.
Eu faço a minha parte.

Bella disse...

Já vi e vivi muitas cenas de preconceito. Sofria preconceito quando andava com os meninos e ñ com as meninas; Sofri quando namorei um cara com o dobro da minha idade; Sofri quando resolvi ser amiga do meu ex...

E vivo sofrendo vendo meus amigos... tenho uma amiga que tem insuficiência de cálcio nas pernas e por isso é cadeirante. E a sobrinha do meux que nasceu down...

Enfim, cansei de falar sobre isso, de tanto falr e ñ ser ouvida :P

ótimo texto, dama!

Su disse...

O nome por si já diz tudo é um PRE-Conceito!
Temos que nos despir de qualquer resquício diariamente!
Acho que é o sinônimo máximo de ignorância!
Vi no rastro das Confissões ácidas e adorei, voltarei outras vezes!!!

Bjos!!!

o que me vier à real gana disse...

... e é contra-natura.
Muito bom! Parabéns!

Maldito disse...

Meus preconceitos hegaram até mim atraves do sistema de cotas!
Bom,...é a Dama ,...Excelente como sempre!
Inté!

MELISSA S disse...

Oi, Fábio!! Acho que devo ter cometido algum erro de digitação rs Não tenho 15 não... Tenho 25 anos! Eu teria muito medo de uma menina de 15 que escrevesse experiências como as que eu escrevo no blog rs Vc já está linkado querido, tb escreves muito bem!! Volte sempre!! Bjs

Rodrigo Dias disse...

Preconceito sempre existiu e sempre vai existir. Ainda mais no Brasil, que se julga "livre de preconceitos", mas o que nós somos é hipócritas.

Enfim, concordo com a Dama quando fala das minorias discriminadas que se fecham. Elas mesmo acabam por alimentar a discriminação, na medida em que a arrogância, a intolerância e até uma vontade de posar de vítima acabam por destruir tudo o que construíram.

Existem formas de lutar, mas muitas acham que é jogando na cara que terão respeito.

Bah! Saudade de vir aqui. Com certeza, voltarei.

Abraço

Pavón disse...

Gostei da forma como vc abordou uma questão tão delicada e vigente em todo mundo. Concordo contigo na questão dos guetos, acredito sim que as pessoas que sofrem preconceito precisam lutar e provavelmente lutam muito mais para conquistar seu espaço do que outras pessoas que nao sofrem, mas ficar bancando o "coitado" da história nao os levará a lado algum, apenas fará ser sempre visto como o coitadinho, e existem muitos exemplos que provam o contrário. Para os que possuem preconceito, nada melhor do que uma boa pancada na cabeça para ver se a mente abre para questões diversas. A oportunidade de dar a chance a uma pessoa diferente, pode revelar coisas mágicas.
Lembro que uma vez conduzi um grupo de cegos dentro de uma fábrica de pneus, e é incrivel como eles podem nos ensinar que a vida vai muito além dos nossos olhos...

Beijos

Andréia disse...

texto maravilhoso. tbm n poderia esperar diferente...

Enquanto lia fiquei aqui meditando tentando entender o porque que o preconceito existe já que ele brota dentro da gente sem grandes esforços... acho que a batalha da vida se resume em vencer a nós msm porque todos estamos sujeitos a passar pelas mesmas coisas. quem está isento de ter um filho gay, travesti, etc? quem está isento de consegui viver até os 97 anos? ou passar por um trágico acidente e ter que conviver com as seqüelas? ou de descobrir uma doença que pode ser combatida com um transplante, já pensou se o doador compatível pode ser aquele vizinho de cor que vc tinha nojo ou medo de se aproximar?...

Mary West disse...

Sem sombra de dúvidas este é um assunto que precisa ser debatido sempre e sempre. É incrivel como em pleno sec 21 ainda exista tal pensamento, culpado pelas grandes mazelas mundiais.

*Raíssa disse...

É fato que todos temos preconceitos, e quem disser que não tem está sendo hipócrita. Às vezes é mais fácil pré-julgar do que parar para conhecer de perto para, assim, formar um conceito. Isso acaba levando ao isolamento dos guetos, como você disse. Eles se isolam e acabam por desenvolver preconceito contra outros guetos e até com pessoas do próprio gueto, pois começam a sentir raiva de si mesmos por serem daquela forma e, por isso, excluídos e discriminados. É duro, mas é real.

Excelente post, Dama!

Beijos

*** Cris *** disse...

Adorei o texto, nele há muita clareza.Considero-me uma pessoa sem preconceitos pq acima de td aprendi a me aceitar do jeito que sou.
Um abraço!

Sei que existes disse...

Antes de criticar e tentar eliminar os preconceitos dos outros, temos de olhar para dentro de nós próprios e eliminar os nossos próprios preconceitos, pois eles são uma parte forte da nossa auto destruição...
Beijocas grandes

Dama de Cinzas disse...

comentando só para acompanhar comentários no meu email...

ANGELO ALFONSIN disse...

O preconceito ou é resultado do meio em que se vive, ou é hereditário pela forma de educação imposta pela grande burguesia.
Todos nós somos vítimas dessa doença, que apodrece nosso caráter, e da qual ao longo do aprendizado com a vida tem-se de livrar-se dela.

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

preconceitos! odeio preconceitos.
belíssimo texto!
Apareça, e desculpe minha ausência.
Uma boa semana para você

Bill Falcão disse...

Temos sempre que lutar contra isso, dama cinzenta! O mundo é essa confusão, em grande parte, porque um grupo, de determinada cor ou determinada religião, se considera melhor do que os outros. E aí o pau quebra!
Falam muito também, aqui no Brasil, em preconceito contra os negros, índios, mulatos etc. Também quero reclamar! Desde criança, me chemam de "branquelo" e coisas parecidas. Quando estive aí no Rio, recentemente, era cercado, na praia, por grupos de pagode, que me "exigiam" dez pratas porque fizeram uma batucada de 30 segundos do meu lado. Minha mulher, que é mulata, ficava me gozando: "Finge que é gringo mesmo! Fala em alemão, em russo!" E eu dizia: "Aí, moçada, sou nascido e criado aqui no Posto 4, tão sabendo? E me desculpem, eu sou do rock e vou dar um belo mergulho agora, beleza?"
É, é difícil ser branquelo no Brasil! Ninguém me entende!
Bjooooooooo, dama cinzenta!
Boa iniciativa, Fábio! A dama escreve como gente grande hehehe!!!

Priscila Rocha disse...

Uma vez ouvi de alguém o seguinte: Tudo o que falamos do outro é tudo o que nó, que falamos, somos na verdade.
Portanto muito cuidado uma vez que uma das coisas que não voltam a trás é a palavra depois de proferida.
Além do que... pra que julgar, se estaremos sempre sujeitos a julgamento?

Ah! E a Dama é mesmo ótima. Good choice!

Abraços

Priscila Rocha disse...

Ah e desculpe os "erros" gramaticais... mas eu superjuro que foram erros de digitação!

Gustavo Diniz disse...

o preconceito mata, é o câncer da alma.

Celamar Maione disse...

Falar de preconceito é uma prova de que ele sempre vai existir. Infelizmente.
O mundo é cruel ?
Sim. É. Porque o ser humano é cruel.
Sim, também tenho pena dos preconceituosos. É gente que não consegue olhar para dentro de si . Por causa disso, aponta o dedo para o outro.
Cruzes !

▒▓█► JOTA ◄█▓▒ disse...

ººº
Não se atualiza mais o bloguinho?

Recebam beijos e abraços

Desarranjo Sintético

Desarranjo Sintético
"Era um grande nome — ora que dúvida! Uma verdadeira glória. Um dia adoeceu, morreu, virou rua... E continuaram a pisar em cima dele." Mario Quintana