Quem sou eu

Minha foto
Fábio e Verônica, Verônica e Fábio. Um escritor e uma musicista, pelo menos aspirantes a isso rsrs! Amantes das letras, dos sons e de tudo que é arte! Amigos acima de tudo! Fizemos esse cantinho para dividir nossas idéias e ideais aos olhos da Net!

terça-feira, 7 de outubro de 2008

VMB 2008

Foi realizado o evento do VM 2008 na quinta-feira, dia 02 de outubro, ás 21 horas no canal 14 na MTV Brasil.
Este ano contou com oito shows bem variados e com atrações internacionais. O primeiro show da noite foi do cantor Ben Harper que teve uma energia bem positiva. Logo em seguida, subiu ao palco a cantora Vanessa da Mata para tocarem a música que se tornou um verdadeiro hit neste ano que trouxe muita “Boa sorte/ Good Luck” para eles.
Marcelo D2 fez o terceiro show da noite para lançar o seu novo cd, sempre inovando. Teve um bom desempenho e suas feições (em minha opinião) lembravam muito Chico Science. Nenhum dos shows foi empolgante, porém de boa qualidade.
O quarto e quinto shows foram da estréia da banda “Nove mil anjos” do Junior (irmão da Sandy), do ex-guitarrista da Pitty, ex-baixista do Charlie B. e de um vocalista desconhecido que nem fez diferença, seguido da banda internacional BLOC PARTY que mais parecia qualquer coisa menos o show tão anunciado e ao vivo como foi falado. Não conhecia o som de ambas as bandas e percebi que não perdi nada.
Sexto show foi da banda Bonde do Role que por questões pessoais prefiro não comentar, em decorrer de não ter nada, absolutamente nada para falar de algo que sob meu ponto de vista não se enquadra como música.
Os últimos shows foram muito bons e quando digo muito bom é porque recomendo mesmo. Sem preconceito ou rótulos, sem serem do meu gosto próprio, mas revi ambos. O sétimo foi o da Pitty com o Cascadura (integrante de uma banda chamada Útero em fúria) que tocaram uma música de sua autoria. Ótima instrumental. Louvável o show seguido de Fresno com Xitãozinho e Xororó que cantaram “Evidências”.
Não sou fã do movimento EMO, não tinha tido uma boa impressão desta banda gaúcha que é o Fresno. Porém, eles não são apenas mais um bando de guris que formam uma banda de acordo com o modismo, não, eles são músicos. Claro este termo “músicos” é um pouco forte e quem me conhece deve ter se surpreendido com isto que estou escrevendo agora, mas os garotos estão chegando lá.

Agradecimento a Verônica Elias pela sua contribuição. Nota expressa sua opinião. (Escrito em 06/10/2008).

6 comentários:

Assim que sou disse...

Vai daqui meu pequeno comentário: simplesmente adorei o exótico encontro do Fresno com Chitãozinho e Xororó. Há muito tempo escolhi que no terreno da música sertaneja - que não gosto nem um pouco - reservaria um espaço para curtir Evidências, que - confesso - gosto muito. Apesar do emo-rock do Fresnco, a chamada da guitarra e da bateria deram à canção um charme todo especial. Simplesmente adorei!!!!

Sim...não sou uma cronista musical, mas quis deixar por aqui meu alô. bjs. Veronica

Beto Canales disse...

Coragem é algo que se louva. Gosto não. Nem se discute, na verdade.

MELISSA S disse...

Não vi o VMB, ainda bem que reprisa toda hora. Tive a oprotunidade de conferir ao vivo, mas infelizmente o trabalho não me possibilitou :( Mas eu tô louka pra ver Chitãzinho e Xororó e Fresno. Já ouvi vários comentários de q eles salvaram a noite... Beijos!

Robson disse...

Nossa fábio iria curtir muito a Vanessa com o Ben harper, gosto demais dela e acho originalíssima.
Quanto ao fresno e aquele "EmoX0"
sei lá acho que meu preconceito é maior que minha curiosidade, mas vou ouvir alguma coisa deles pra saber melhor.
Abraço

Quase Trinta disse...

fiquei agora curiosa pra ler vmb 2008 parte 2...
vc descreveu muito bemmmmmmmmmm o evento.

Mary West disse...

Geee MTV? Diaboéisso? Cortaram da Sky e nada mais sei. Se bem que mesmo antes eu nada mais sabia, naum entendo de cultura local ó e nem faço questão de ouvir o "rock" de agora nacional.

/me anda cruel.

Desarranjo Sintético

Desarranjo Sintético
"Era um grande nome — ora que dúvida! Uma verdadeira glória. Um dia adoeceu, morreu, virou rua... E continuaram a pisar em cima dele." Mario Quintana