Quem sou eu

Minha foto
Fábio e Verônica, Verônica e Fábio. Um escritor e uma musicista, pelo menos aspirantes a isso rsrs! Amantes das letras, dos sons e de tudo que é arte! Amigos acima de tudo! Fizemos esse cantinho para dividir nossas idéias e ideais aos olhos da Net!

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

As musiquinhas de telefone

Se existe uma coisa irritante são aquelas “musiquinhas” que as pessoas utilizam quando vão “passar a ligação”. O normal (que é o que irrita) é que seja sempre aquela mesma cantiga “tanãnãnãnãnãnãnãnã...nãnãnãnã....nãnãnãnã...” que repete infinitamente e que casualmente me recorda a música do carrossel do parque da Expointer (uma feira de destaque nacional – com participações internacionais- que tem competições entre animais e a venda dos mesmos, artesanatos, parque de diversões, venda de máquinas como tratores e colheitadeiras, que ocorre na município de Esteio – RS). O problema é que de tanto ouvir essa tal música nessas “transferências de ligação”, eu fiquei com mais recordações ruins do que boas. Sem contar que se for algum órgão público, muitas vezes em vez de música eles colocam “frases de impacto”, ou algo relacionado com o órgão, frases, histórico, ou o que quer que seja. Aborrecente!
Eventualmente, ouço algum outro tipo de música nessas ocasiões, o que acho extremamente bom! Agora me digam, porque não inventar um aparelho de “transferência de ligações” em que se possam escolher entre vários tipos de música! Que tal aguardar na linha escutando Beethoven, Bach ou Mozart?? Na linha menos clássica, porque não Marisa Monte, Ana Carolina ou Adriana Calcanhoto! Enquanto você espera para falar (normalmente reclamar) com um funcionário porque não se acalmar escutando Caetano, ou numa animada sexta-feira (e dependendo do perfil -e animação- do dono do telefone) um pouco de Ivete Sangalo?
Não sei, mas acho que faria o maior sucesso nas “paradas” dos telefones!

Agradecimento a Fábio Nunes de Moura pela sua contribuição. Nota expressa sua opinião. (Escrito em 22/08/2008).

19 comentários:

Super Nada disse...

Aqui no rio tem empresa que já coloca uns sons legais. Outro dia eu tava escutando Joy Division, torcendo para que a telefonista demorasse a transferir a ligação.

Belo post cara...

Dama de Cinzas disse...

Acho que nesses momentos uma música clássica suave cai bem, não irrita. Um dia desses escutei Fábio Junior... affe... me perdoe quem gosta, mas esse não é um cantor para musiquinha de telefone... rs

Me veio a mente tb músicas de toque de celular... É cada uma que ninguém merece! Por isso eu coloco triiiim triiim no meu... ahaha

Beijos, querido!

"O Autor", disse...

Dizem que a música que tanto irrita será substituída por grandes sucessos do Tiririca.

TOOP disse...

É um saco tudo isso.. esses tananana são uma perda de tempo!

E nem me lembre da Expointer! hasahsuahs.

memória de infância por lá!

Bella disse...

Apoiado! Apoiado! ODEIO aquelas musiquinhas de telefone. Queria poder escolher...esperar ouvndo Queen ou algo do tipo :P

Thihuanaco disse...

Legal.

Gostei de teu blog.

Conheça o meu: www.cinemaebobagens.blogspot.com

Dois Rios disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dois Rios disse...

Odeio essas musiquinhas e/ou mensagens que nos obrigam a escutar enquanto esperamos "pacientemente" para sermos atendidos. Até que não seria uma má idéia se pudéssemos escolher a música do nosso gosto.

Toque de celular no cinema também me leva a loucura.

Pior do que do isso só mesmo quando me obrigam a falar com uma máquina... "Disque 1 para isso, Disque 2 para aquilo, Disque 3 para aquilo outro" e no final do rosário de itens não nos dão a opção de falar com um "ser humano". É o que acontece, por exemplo, no Cinemark e em alguns teatros.

Beijão, Fábio!

Inês

ANGELO ALFONSIN disse...

A música é a expressão máxima da emoção humana, talvez o sonho do homem de ser entendido em qualquer idioma ou dialeto virou realidade através dela.
Só o próprio homem consegue transformar em irritação ou ódio algo nascido como sinônimo de emoção e beleza.
Pobre do gado da Expointer, vai ficar estressado.
abraço

Camila disse...

É verdade!
Me irrita mais esperar escutando a musiquinhaaaaa !
Affe!
Caetano seria uma ótima pedida!
Beijoo

Quase Trinta disse...

Essas músicas irritam muito mesmo.
Mas acredito q seja estratégia da empresa, pra que encerremos a ligação antes de efetuar a reclamação.
Mas sua idéia é ótima. Seria uma boa poder escolher o q ouvir já q temos q esperar

Sunflower disse...

nãonão opior é ter que apertar os botões para especificar o serviço desejada. è uma jornada sem fim.

Assim que sou disse...

Sabes que é assim que surgem as grandes invenções? Das observações mais histriônicas nascem os grandes teoremas da vida. Quem sabe não comecemos tudo com a musiquinha de espera no telefone. Sugiro algo bem animado e dançante. Que tal Jamiroquai?

bjs. Veronica

Pelos caminhos da vida. disse...

Só passei aqui pra agradecer visita,estou no meio de uma mudança,e qdo tiver mais um tempo leio e comento seu texto.

beijooo.

Camila Colossi disse...

hehe
pioor q iso irrita pakaas ahuuhhuahaha

Oiieee :)
teem aviiso no meu blog ;
vee laah?


se cuidaa


;*

*** Cris *** disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
*** Cris *** disse...

Olá,td bem? obrigada pela visita no meu blog.Sabe, ainda bem mesmo que a ciência tem solução para quase td...rs. Quanto a homens e mulheres, acham que somos todos iguais e temos os mesmos direitos, se destaca mais quem merecer.
Comentando seu texto, gostei da idéia das musiquinhas, show de bola...rs. A chance das pessoas ficarem mais calminhas na espera seria maior.
Um abraço!

Anônimo disse...

Realmente Fabio, é uma otima ideia pra nós, que ficamos horas esperando essas pragas nos atenderem e encherem nosso saco com os tão famosos:
- Eu "estarei encaminhando" uma resposta no periodo de até 5 dias ok senhora!?
uuuuuuuuuuuuuuuuurrrr, isso é o fim!!!
Abraços!!
Paty (F.M.)

Mary West disse...

Atualiza baby! ;)

Desarranjo Sintético

Desarranjo Sintético
"Era um grande nome — ora que dúvida! Uma verdadeira glória. Um dia adoeceu, morreu, virou rua... E continuaram a pisar em cima dele." Mario Quintana