Quem sou eu

Minha foto
Fábio e Verônica, Verônica e Fábio. Um escritor e uma musicista, pelo menos aspirantes a isso rsrs! Amantes das letras, dos sons e de tudo que é arte! Amigos acima de tudo! Fizemos esse cantinho para dividir nossas idéias e ideais aos olhos da Net!

sábado, 14 de junho de 2008

Show da Banda Izmália - Por Verônica Elias

Não dói nada

Aconteceu no dia 04 de junho de 2008, às 18h e 30 min. No Solar do Câmara, um show acústico da banda Izmália tocando MPB. Este evento teve a entrada franca e duração de 1 hora, além de a divulgação do cd “Quase não dói”. Ficha técnica dos músicos que se apresentaram foi de Izmália Ibias (Violão e voz), Sandro Castellano (baixo), Marcelo Playker (guitarra) e Eddie Castellano (percussão). Um repertório de doze músicas covers e três músicas próprias. Tais como: Cara Estranho e Sentimental – Los Hermanos, Mais que isso e Pra terminar – Ana Carolina, Onde anda você – Vinícius de Moraes, Como nossos pais – Belchior, entre outros.

Na visão de fã:

Fomos assistir ao show desta banda que quando fiquei sabendo que existia, achei que era apenas uma bela moça de olhos verdes e uma voz atraente em um canal de tv com um violão.
Ao descobrir a banda me encantei pelo contexto. O conceito banda nunca se aplicou tanto naqueles três rapazes junto com aquela moça. Tá aí, algo que hoje em dia parece ser esquecido por algumas bandas.
Era o momento!
Estava eu lá ou eles lá na minha frente (depende do ponto de vista), deslumbrando de tudo aquilo com prazer, com a penetração daquele olhar. Ah, que olhar!
Izmália, mulher feita, transbordava categoria, qualidade, personalidade e claro aquele olhar. Parecia me perseguir naquela peça pequena aonde o seu som ressoava e invadia, sem pedir licença, quem estivesse por lá.
Mas seu olhar mostrou não ter dono e nem destino, ele só queria mostrar um pouco deste trabalho muito bem desenvolvido com o embalo de uma voz meio rouca. A banda atendeu a todos com um enorme carinho. Só posso dizer o seguinte:
COMPREM LOGO SEUS INGRESSOS!

Agradecimento a Verônica Elias pela sua contribuição. Nota expressa sua opinião. (Escrito em 07/06/2008).

7 comentários:

Super Nada disse...

Legal. Não conheço a "banda", mas a forma com que você escreveu, me fez ter vontade conhecer. Obrigado pela dica, só não posso comprar meu ingresso...

Dama de Cinzas disse...

Não conheço a banda, mas me deu vontade de ser a Izmália... eheheh

Saudade de vc, andava sumido!

Beijos

Mary West disse...

Tb naum gosto muito de mpb, mas o seu relato aguçou minha curiosidade.

Leandro BLuz disse...

Bah, adoro a Izmália, e tua descrição da banda é perfeita!

Parabéns

Lomyne disse...

Meu deus, conheço nadinha disso, não sei nem se já ouvi falar... mas vou pesquisar, pareceu-me que vale muito a pena...

Dama de Cinzas disse...

Fábio, eu sou meio lesada e não percebi que os posts eram escrito por pessoas diferentes... rs

De qualquer forma, muito obrigada pelos enormes comentários lá no meu blog! Gostei muito!

Beijos

Dama de Cinzas disse...

Pois é, Fabio, acabei de ler os outros comentários. Hoje vc teve um trabalhão pra responder todos aqueles posts com comentários enooormes... eheheh... Legal como sempre!

Quanto ao teatro, tb tenho muita vontade de fazer, pra poder dar vazão a todos esses eus que vivem dentro de mim... Mas, assim como vc, só queria fazer vilões, marginais, complicados... ahahah... Mocinha eu tb já sou na vida real... ahahah

Gosto muito da sua linha de raciocínio, por pessoas como vc vale à pena continuar postando!

Beijocas

Desarranjo Sintético

Desarranjo Sintético
"Era um grande nome — ora que dúvida! Uma verdadeira glória. Um dia adoeceu, morreu, virou rua... E continuaram a pisar em cima dele." Mario Quintana