Quem sou eu

Minha foto
Fábio e Verônica, Verônica e Fábio. Um escritor e uma musicista, pelo menos aspirantes a isso rsrs! Amantes das letras, dos sons e de tudo que é arte! Amigos acima de tudo! Fizemos esse cantinho para dividir nossas idéias e ideais aos olhos da Net!

quinta-feira, 15 de maio de 2008

E a água levou...

Tenho visto nos noticiários as tristes cenas de pessoas voltando para suas casas após as enchentes e tentando limpar e verificar os prejuízos. Tento pensar em como deve ser horrível de uma hora para outra perder tudo que se tem por causa de uma enchente.
Isso é sempre um drama social que mais cedo ou mais tarde torna a acontecer. E claro, sempre nas camadas sociais menos privilegiadas. Eu não entendo porque não se investe em prevenção. Todo mundo sabe onde ocorrerão novas enchentes e quais são os pontos críticos, porque não priorizam esses locais? Não sai muito mais caro para os governos (e principalmente para as famílias) ter que tomar medidas para reativar a ordem dos locais atingidos? Isso é falta de interesse. Se eles estão na boa, sob a sombra protetora e financeira de seus bons cartões corporativos, porque iriam se preocupar com a plebe? Ainda mais quando é muito mais fácil cruzar os braços, decretar situação de emergência pública e esperar recursos enquanto tomam providências paliativas como alojar as pobres pessoas em ginásios e escolas como se isso fosse recuperar o que perderam, ou como se eles fossem reembolsados depois.
O pior é que acima desse drama ainda temos o aquecimento global (sim, porque as enchentes também estão sendo causadas pelo aquecimento global que agrava e tem tornado o clima caótico) que está gritando aos e com os quatro ventos que se não cuidarmos bem do nosso planeta por bem, vamos sofrer cada vez mais e não vejo ninguém se importando muito com isso, como se nada estivesse acontecendo. Mesmo vendo tragédias terríveis como em Mianmar, e coisas incomuns como tremores e ciclones extra-tropicais aqui no Brasil e tudo fica por isso mesmo.
Não é tão difícil de ajudar, se cada um tomar individualmente medidas fáceis que ajudem a pelo menos abrandar a situação como selecionar o lixo, não jogá-lo nos rios e arroios, evitar o desperdício de água, consumir papel reciclado, e até mesmo educar as novas gerações para enfrentar e colaborar com o problema antes que seja tarde demais. E nessas horas, força de vontade é o que mais conta!

Agradecimento a Fábio Nunes de Moura pela sua contribuição.
Nota expressa sua opinião. (Escrito em 15/05/2008).

18 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Concordo que devemos colobora não sujando as ruas e etc! Assim a água poderia escoar melhor!

Quanto aos governantes, se eles resolverem isso, fica sem menos um ponto para prometer solucionar na próxima eleição...

Beijos

Dama de Cinzas disse...

"É estranho que por mais estranho que que possamos achar nossos sentimentos ou pensamentos, volta e meia encontramos alguém que compartilha do absurdo de nossas mentes, não?"

Sem dúvida, meu amigo! E ainda bem que isso acontece, caso contrário essa louca aqui estaria perdida... ahahah

Beijos

Dama de Cinzas disse...

Eu te linko sim e tb te indicarei uns blogs legais para vc visitar, mas quando chegar do trabalho... eheh... Agora to atrasadérrima! Beijos

Pedro Favaro disse...

mudaria muito se todos adotassem um conjunto de atitudes tão simples, pequenas mudanças no dia a dia, pequenas mesmo...

parece muito para todo esse povo acomodado.

Bianca Rieth disse...

Cada vez mais o clima demonstra sinais de cansaço. Para as pessoas que não acreditavam em Aquecimento Global, as constantes mudanças no meio ambiente vêm a calhar com as suspeitas dos cientistas. Para um país considerado imune, como o Brasil, as coisas ficam muito mais perigosas. Nunca pensaríamos que pudesse ocorrer um fenômeno como um ciclone, como o Catarina, que outros voltariam a rondar a nossa região. Que enchentes como essa do Rio dos Sinos, nas mesmas proporções fosse acontecer no nordeste do país, umas das regiões mais secas do Brasil. Cada vez mais a Floresta Amazônica vem sendo devastada, para fins de crescimento econômico, e não de maneira sustentável. Isso, que estou falando dos problemas do Brasil, fora o que existe pelos outros continentes, como o ultimo terremoto na China, a situação de Miamar.
É lamentável a situação das famílias da região, cada vez que olho o noticiário, fico extremamente triste. A maioria delas perdeu tudo, o que foi conseguido com muito trabalho, é de chorar, sabe?
Enquanto alguns, ficam gastando o dinheiro em frescuras de uma bosta de cartão corporativo, essas famílias vão trabalhar duro para conseguir tudo novamente, porque nenhum governo de merda vai ajudar. Depois dizem que o Brasil é pobre, pobre que nada, somos um país rico, só que governados por um bando de sanguessugas.


beijos

Dama de Cinzas disse...

Oi rapaz! Aí vão os lins de alguns blogs de minha preferência, vc pode escolher o que gostar:

http://verdeolhardejade.blogspot.com

http://anacarolinalimabraga.wordpress.com/

http://zennyze.blogspot.com

http://deferiasnesteplaneta.blogspot.com

http://vladirduarte.blogspot.com/

http://chavescamila.blogspot.com/

http://aquelasestorias.blogspot.com

http://comodiriasuamae.blogspot.com/

Já te linkei! Beijos

Beijos

Rodrigo Dias disse...

Cara, concordo contigo em partes. Vamos pela parte que corroboro contigo:

Sim, se todos nós fizermos alguma coisa de útil, cuidar das coisas de forma decente, muitas das merdas que têm ocorrido deixarão de existir. Aquecimento Global? Bem, depois que a Marina saiu do Ministério do Meio Ambiente, já estou com dúvida se estamos fazendo um bom papel.

Agora, discordo contigo quando diz que a culpa das enchentes é só culpa dos governantes. Não sei como é no Vale dos Sinos, mas aqui em Porto Alegre as administrações têm focado bastante na limpeza do lixo, mas nem por isso "catástrofes" deixavam de acontecer.

O problema é que é muito fácil colocar a culpa em quem tá em cima. É bom para a gente esquecer de olhar o próprio rabo: afinal, ninguém gosta de ser culpado, não é?

Porém (sempre o porém), é só olhar a quantidade de gente que aproveita os bueiros que têm nas ruas para tocar garrafas, sacos plásticos, cigarros, etc. Aos poucos, aquilo vai acumulando e, quando chove, tudo entupido e dá merda.

Culpa do governo em não limpar? Bem, pode até ser, mas se a cada dia for contratado para alguém para limpar as merdas da população, vai faltar para investir em outros serviços, como saúde e educação.

É uma via de mão dupla e, como bem disseste no final do texto, todos nós devemos fazer nossa parte. Não apenas no aquecimento global - até porque, hoje, tudo é culpa do aquecimento global -, mas por tudo o que nos ronda. Se nós não fizermos nossa parte, os governantes também não farão.

Abraço e valeu pelos elogios no blog.

P.s.: com relação aos links, não gosto do termo "parceria". Pode linkar meu blog quando quiser, cara . Se tu gosta dele, pode linkar. Já fiz isso com o teu.

Mary West disse...

As vezes eu acho hipocresia cobrar somente o governo nessas questões, todo mundo tem um pouco de culpa sim, afinal quem é q coloca esse povo no poder? Triste mesmo q o Brasil ainda passe por situações q poderiam ser facilmente evitadas.

Rodrigo Dias disse...

Quanto ao novo conto, só tem um textinho sobre covinhas. Quem sabe daqui um tempo, né?

Leandro BLuz disse...

Não te preocupa Fábio!

O Lula está atento a esse problema de aquecimento global, e já tem até um projeto para ampliar a porcentagem de desmatamento da Amazônia!

Além do mais escolheu um novo Ministro de meio Ambiente por ele facilitar a liberação de lincenças ambientais para o desmatamento.

E o povo sempre na mesma, mas votando sempre nos mesmos!

Belo texto, abraço

Nina 512 disse...

eu ainda sou a favor do:

"nao adianta, muda primeiro a ti, depois o proximo."

dizer oq deve ser feito eh facil demais... vamos começar a fazer entao neh. é bem mais simples.


bjo

nóis disse...

Oi Fábio, como foi que vc chegou ao Nosso Blogue?
Agora vc é um dos nossos caros leitores, seja bem-vindo!
Depois, com mais calma, darei uma bisbilhotada aqui no seu!
Um beijo,
Nóis

J@de disse...

Obrigada pela visita e obrigada à Dama por ter me indicado!!

Olha, concordo com você, com a Dama e com o Pedro, às vezes são medidas tão simples que mudariam completamente toda a estrutura social que temos.

Mas desde que o mundo é mundo, o ser humano é venal, corrompido pelo poder e nesses momentos torna-se egoísta e age como se seus semelhantes não fossem da mesma espécie... uma pena!!

Ótimo post, beijos!!

Assim que sou disse...

Primeira visita e primeiro comentário: essa planeta é nosso e seremos sempre os artífices de sua glória e destruição. Boa parte das grandes tragédias atuais, e que tomam dimensões cada vez maiores, é resultado na ação nefasta do homem na natureza. E Mianmar não é diferente: a China é hoje a responsável direta pela maior emissão de gases poluentes, porque tem sua produção de energia praticamente resultante de usinas que queimam carvão. Apesar do oba-oba verde, pensar em práticas direcionadas à auto-sustentabilidade é o caminho da preservação de nossa espécie.
Gostei do seu texto, do blog e voltarei a te visitar.

bjs. Veronica

Dama de Cinzas disse...

Obrigada pelo seu lindo comentário! Interessante é que eu estou me sentindo muito bem no momento... ahaha... Mas a interpretação que estão dando ao meu texto é que estou em plena crise... ahahah... Faz parte daquele post que comentei sobre o que a gente escreve e como isso chega ao leitor!

Obrigada pelo seu carinho, seus comentários são muito legais, esse agora poderia até virar um post... ehehe!

Beijos

Ana Carolina disse...

Olá!
Também gostei do seu blog!

bjs

Chá de Fita disse...

MÃOS À OBRA...

~*Raíssa Sant'Anna*~ disse...

aqui tbm está acontecendo coisas assim...
Alias, no Brasil inteiro...
Isso é coisa antiga, mas pelas atitudes [não] tomadoas até parece novidade.

Desarranjo Sintético

Desarranjo Sintético
"Era um grande nome — ora que dúvida! Uma verdadeira glória. Um dia adoeceu, morreu, virou rua... E continuaram a pisar em cima dele." Mario Quintana