Quem sou eu

Minha foto
Fábio e Verônica, Verônica e Fábio. Um escritor e uma musicista, pelo menos aspirantes a isso rsrs! Amantes das letras, dos sons e de tudo que é arte! Amigos acima de tudo! Fizemos esse cantinho para dividir nossas idéias e ideais aos olhos da Net!

terça-feira, 23 de março de 2010

De Volta das Férias

Buenas Gente!

É estranho como toda a volta, mesmo aqui no blog, tem o gostinho de conforto do lar. Eu estava de férias, tirei míseros quinze dias de férias e ainda por cima depois de muita insistência e muitas reticências. Não gosto disso. Não acho que eu deveria sequer pedir minhas férias que como o nome já diz são MINHAS. Um direito MEU. Isso entra para as coisas que certamente eu detesto ter que mexer: fazer as pessoas terem bom senso. Precisa?? Se sim, está errado, pois não deveria precisar. Tenho pavor das pessoas que não se tocam e mais pavor ainda das que fingem não se tocar. E isso serve para todas as atmosferas possíveis no mundo: amorosa, afetiva, de trabalho, de amizade, etc. e etc. e tal.

Sendo assim, por causa do meu patrão ter me enrolado um bom tempo antes de me dar uma resposta, não pude me programar e acabei perdendo a viagem que eu pretendia fazer. Eu trabalho o ano inteiro e acho as férias mais do que merecidas. Sei que trabalho bem e acrescento por aqui, ou pelo menos me esforço o máximo para isso. E quando é para receber a recompensa ela vem com uma embromação terrível. Não vendo férias. Sou totalmente contra as empresas que te obrigam a tirar apenas 20 dias de férias e vender os outros 10. Até faço um acordo se for necessário de tirar 15 dias e depois outros 15 ou 20 e 10, mas tem que ser 30 no total. Um mês, um mesinho merecido de descanso depois de 11 trabalhando arduamente.


Sempre falo que “tudo acontece quando tem que acontecer”, ou que “aconteceu porque era para ser assim”, mas não é fácil seguir isso de sorriso na cara quando a notícia não é boa. Mas como acredito nisso piamente, tentei aplicar, após saber que teria que trocar meus planos de férias. Fui viajar, mas não com minhas amigas e sim sozinho, para praia onde minha vó tem uma casinha e com a intenção de aproveitar o máximo que eu pudesse lá mesmo. Felizmente minha tia que é super “pra frente” alugaria lá logo depois que eu chegasse e assim eu teria companhia para sair e me divertir, porque eu não sou uma pessoa da solidão, não gosto de sair sozinho.


Antes de a minha tia chegar, estavam lá uns inquilinos da minha vó, que eu já havia conhecido antes na ocasião do aniversário dela, que alugaram por um mês por lá, e que se mostraram pessoas maravilhosas. São o Alberi, a Nilza e a filha deles, a Karolyne. Peguei três dias maravilhosos da presença deles lá. São pessoas raras de se encontrar, gente com quem se pode conversar, jogar cartas e provavelmente estenderemos relações mais estreitas se depender de mim, porque pessoas assim são realmente raras hoje em dia. Joguei muito xadrez com a Karol, aprendi muitas regras que nunca tinha parado para verificar. Pegamos um mar morno nesses dias, coisa rara para a praia em que eu estava, e tudo isso com certeza me fez ter a certeza de que “tudo acontece quando tem que ser”. Depois eles foram embora e chegou minha tia, e eu continuei me divertindo bastante, joguei bastante carta, vôlei, passeamos, comi muito crepe, sorvete e comida caseira. Li um bom livro (“Celular” do Stephen King) e descansei a cabeça, que estava precisando.


Mas agora estou de volta para ajudar a Vê a segurar as pontas aqui no blog eheheh, de volta à ativa. Um grande abraço aos leitores.


Agradecimento a Fábio Nunes de Moura pela sua contribuição. Nota expressa sua opinião. (Escrito em 23/03/2010).

8 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Bem... eu não tenho como vender férias. Serviço público não tem isso. Mas quando trabalhava pela CLT não vendia. Vendi uma vez e me arrependi... Quero sempre meus 30 dias...

Mas conheço gente que vendo os 30 dias e venderia mais se tivesse... Não acho que valha à pena.

Beijocas

feriadoantecipado disse...

ooi...comecei a ler pensando q era a verônica escrevendo...shuashuahsua...eu não tive essa experiência de um ano de trabalho pra ter férias... ¬¬' ...tenho um programa tri pro find, digo melhor por email...abraços...

angelo alfonsin disse...

Conterrâneo Fábio, apareça sempre para mais um mate.
abraço

Robson Schneider disse...

Ei Fábio! voltar de férias também é legal demais. Especialmente quando a energia ta recarregada!
Rever as atividades e as pessoas fica com colorido somente possível no pós-ferias.
Abraço e enjoy!

Laly Ribeiro disse...

Olá Fábio!!!
Eu tbm acho esse mundo da blogosfera incrivel!!! Sentimentos parecedos são muitos né?! Pois é achei seu conselho um arraso, é o que eu já penso, até tenho procurado estágios, tenho enviado cvs mas não queria esperar mais nada, sabe?! se eu "pudesse" pediria demissão hoje!! RS.
Hmm quanto ao seu post, fiquei imaginando o lugar gostoso pelo qual vc passou!! Boas companhias e um lugar lindo e tranquilo é a melhor fórmula para revitalizar!!!
Obrigada pela visita!!

Bjks

Paulo Braccini disse...

agradecendo e retribuindo o carinho da visita ... gostei daqui ... legal o projeto deste grupo de amigos ... super interessante ... viajando muito por aqui ... seguindo ...

bjux

;-)

Visão disse...

É por essas e outras, Fábio, que eu quero passar em um concurso público: não terei patrão e sim colega de trabalho que vai mudar de 4 em 4 anos.
Como você, sou adépto da crença de "as coisas acontecem quando tem que acontecer e cada decisão tomada não seria diferente da que deveria ser tomada".
Bom que você esteja de volta no dia do texto da minha tia e espero passar por aqui sempre.
Seguindo.
Abraço.
Visão

Vladir Duarte disse...

Cara, fiquei com uma inveja boa das suas férias... Parece que você realmente aproveitou bastante! Tomara que a minha, que começa semana que vem, seja igual!

Valeu!

Desarranjo Sintético

Desarranjo Sintético
"Era um grande nome — ora que dúvida! Uma verdadeira glória. Um dia adoeceu, morreu, virou rua... E continuaram a pisar em cima dele." Mario Quintana